Currículo Resumido


MORENA LOPES. DRT: 8380/RS
 Atriz-criadora, bailarina, cantora e poeta.

ATIVIDADES RECENTES:

Fundadora e Produtora Cultural da Casa BioCultural Confraria dos Alquimistas em 2014 na cidade de Sorocaba/SP onde desenvolveu e produziu mais de 100 eventos entre bandas, exposições, espetáculos de teatro, circo, performance, oficinas, sarais, jam sessions e contação de história para crianças. Confira no blog  www.confrariadosalquimistas.blogspot.com

Criou e dirigiu a contação de história " As aventuras da Bruxa Onilda" com a atriz Fernanda Geraldino tendo estreiado na Casa BioCultural em julho e seguiu se apresentado no Educandário Sto. Agostinho, no Txai Ateliê Cultural, no Ação Comunitária Inhayba, em Aracaçu na cidade de Buri e na Escola Arquimínio Marques da Silva. TV Facens acompanhou uma das apresentações no espaço Inhayba: A Bruxinha na TV

Atuou como proponente, artista e cantora do projeto de Gravação de Primeiro Álbum aprovado pelo ProAC  ( Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo) em 2013. Resultando no projeto de pesquisa em música e poesia " Trio Os Kuarahy - Raízes Mamelucas"  com Moisés Ameno e Gabriel Gaier, tendo realizado cinco apresentações pelo projeto na cidade de Sorocaba no Espaço Cultural Quintal Livre, Txai Ateliê Cultural e na Confraria dos Alquimistas. Com a participação especial do Projeto Raízes de Pinturas Corporais e com a prensagem de 1.000 mil cópias do CD, também pelo apoio do ProAC.

Ficou em cartaz de Agosto a Setembro com o espetáculo de poesias, canções e dança tribal " A poesia da palavra e a dança dentro do ventre" com o ator Moisés Ameno, na Casa BioCultural Confraria dos Alquimistas, todos os sábados.

Ministrou aulas regulares de Sámkhya Yôga e Dança do Ventre e Tribal durante todo o ano de segunda a sexta-feira.

Criou e desenvolveu o projeto MESOM juntamente com Gabriel Gaier e Moisés Ameno realizando todo o registro fotográfico e audiovisual, bem como arte, edição e montagem dos eventos culturais da Casa.Vídeos da Confraria dos Alquimistas

RESUMO
Nascida em Porto Alegre, bailarina desde os 3 anos de idade, pela Escola de Ballet Lenita Rushel – Porto Alegre/RS (1987-1992), pesquisadora da dança árabe e egípcia desde os 14 anos com as bailarinas: Norma Said Said, Sara Samra, Karina Iman e Alessandra Forte, com inúmeras apresentações na Casa de Cultura Mário Quintana, no restaurante Al Nur, no Variettá Bistrô – Shopping Praia de Bellas, e em diversos eventos na cidade de Porto Alegre/RS ( 1998 – 2002).
Iniciou, em 2003, sua pesquisa teatral na Escola Martins Penna no Rio de Janeiro com o professor Cláudio Sásil. No mesmo ano, cursou dança afro, capoeira angola, e tecido e trapézio, no Centro Cultural  de Santa Tereza/ RJ.
Em 2004 retorna à Porto Alegre e começa sua pesquisa com a bailarina Karina Iman em Dança Tribal (até 2006). Retorna à capoeira angola, se forma como massoterapeuta, começa sua formação em instrutora de Yôga e faz o Curso de Formação de Atores do Grupo Ói Nóis Aqui Traveis da Terreira da Tribo e Teatro de Rua. Em 2005 integra a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS) em Artes Cênicas.

Em 2007, tranca a matrícula da Universidade no Rio Grande do Sul, vai para São Paulo e  é aprovada para o Centro de Pesquisas Teatrais – CPT, sob a coordenação de Antunes Filho.

Em 2008 presta a prova para a USP e entra na Escola de Arte Dramática (EAD/ECA) . Começa a desenvolver sua pesquisa com a palavra poética do ator. Neste ano foi convidada a participar do projeto “Poeta em Cena” com direção de Helder Mariani e coordenação de Denise Weinberg, poesias de Glauco Mattoso. Realizou um trabalho intenso com a palavra com a fonoaudióloga para atores: Mônica Montenegro, aplicando a pesquisa na apresentação da leitura dramática de “ A Tempestade” de William Shakespeare, sob a coordenação de Raquel Araújo e na encenação dos contos de Machado de Assis (2008) e de “Dublinenses” de James Joyce, em 2009, ambos sob a coordenação de Luís Damasceno, na Escola de Arte Dramática. 

Neste mesmo ano entra para a Fundação Dixtal no projeto voluntário “1 milhão de rodas de leitura”, no qual durante um ano contou histórias para crianças com o objetivo da Fundação de incentivar os jovens à leitura. 

De 2008 a 2010 estuda sobre o ‘Corpo da Palavra’ com Isabel Setti, e canto com Andréa Kaiser; apresentando-se no espetáculo “A Vida é Sonho” de Calderon De La Barca, em 2010.

Em 2011, é convidada para narrar, cantar, encenar e dirigir a história “Bumba meu Boi” com as crianças do Lar Sírio da banda de percussão sob a coordenação do músico e professor Wellington Sancho, com apresentação na Festa Junina do local. Também, neste mesmo ano,  realiza um curso intensivo de “Poesia Falada” com a atriz e poetiza Elisa Lucinda, na Casa Poema/RJ.  E se apresenta como atriz no espetáculo “ Lavoura Arcaica” inspirado na obra literária de Raduan Nassar, sob a direção de Antônio Rogério Toscano. 
Criou a banda "Mascarados e Nus" com o músico, ator e compositor Rafael Tosta com músicas brasileira e poesia. A qual deu o nome da banda e atuava como intérprete.
Em novembro, integra a Cia. Fragmentos Teatrais ( Fundada em 2004) sob a direção de Moisés Ameno.

Em 2012 participou de oficinas com a Cia. do Feijão, de Pedro Pires, e com a Cia. Teatro Documentário, de Marcelo Soler. No mesmo ano participou do curso de “BUTOH” com a atriz Ana Chiesa da Cia. Balagan de Teatro, que inspirou diretamente à fusão com a Dança Tribal e a cultura africana. 

Criou, produziu e atuou nos espetáculos “ Sarau Rodrigueano: a vida como ela era?” e    “ A Poesia da Palavra”, ambos com apresentações no SESC Santana e na Brava Cia de Teatro. Neste mesmo ano, iniciou sua pesquisa de Dança Tribal e Butoh denominada “La que Sabe” (através da referência da Mulher Selvagem citada por Clarissa Pinkola Estés) e apresentou-se na festa de encerramento da Samádhi - Escola de Dança com música de Daniel Namkhay.

Em 2013 foi convidada pelo SESC Santana para realizar o projeto “A Poesia da Palavra” no "Líricos e Nauseantes" nos meses de fevereiro e maio, com poesias, contos e crônicas dos escritores: Hilda Hilst, Vinícius de Moraes, Clarice Lispector e Caio Fernando Abreu.

 Foi convidada para realizar a leitura dramática nas quintas “ Faroeste Conta Arena” texto ‘O Filho do Cão’ de G. Guarnieri. Atualmente integra o Centro Cultural Afro- Brasileiro da USP pesquisando a Capoeira Angola e a Dança Afro com o Mestre Pinguin, para a fusão com a Dança Tribal e o Butoh. 

No mês de abril criou, fotografou e produziu a campanha fotográfica “Todo Mundo Tem Sangue Criolo” com a figurinista Cíntia Machado, da YIÁ YIÁ Confecções e uma equipe de atores-modelos e maquiador. As fotos  consistiram em Homens de diversas belezas, mulheres ruivas, brancas, grávidas, crianças, negros...enfim, se vestiram com roupas de tecidos africanos ( da Iyá Iyá), se relacionando com uma árvore centenária em uma praça no bairro Butantã em São Paulo.   

Ainda em 2013 convidou alguns músicos da USP para agregar um núcleo experimental que denominei “Bando Mascarados e Nus” para realizarmos a criação de um primeiro álbum. Tivemos como base para inspiração “As veias abertas da América Latina” e poetas como Hilda Hilst, Mário de Andrade, Mário Quintana e outros. Em outubro fomos finalistas do concurso Nascente da USP 2013 em composição canção popular com apresentação em junho da composição musical em cima do poema XI Aos Homens do Nosso Tempo de Hilda Hilst. E apresentação na Casa das Rosas em julho do mesmo ano.

No final de 2013 fomos aprovados pelo ProAC gravação de álbum, o qual atuei como proponente, artista e produtora.

Em 2014 o projeto da banda se concretiza como o " Trio Os Kuarahy - Raízes Mamelucas".
Como especificado no início das atividades recentes. O projeto de gravação aconteceu no JCP estúdio e contou com o produtor musical Jefferson Gonçalves, o arranjador e pianista Júlio Paz, Márcio Corrêa ( bateria), Juninho Silva (percussão),Nei Dias ( guitarra e violão), Adriano Franklin ( baixo), Richard Ferrarini ( sax e flauta transversa) e Beto Corrêa ( Sanfona), Além do artista Moisés Ameno, Grabriel Gaier e Adriane Lopes.

Nenhum comentário: